Brasil Kirin mostra sua força contra o São José

O São José recebeu o Brasil Kirin, na noite deste sábado, pela sexta rodada da Superliga Masculina de Vôlei. Em jogo acirrado a equipe de Campinas fez os dois primeiros sets, o São José foi buscar, venceu o terceiro, mas no quarto set deixou a vitória escapar em 26×28. A jogo teve parciais de 17×25/22×25/27X25/26×28. O São José tem três derrotas e três vitórias na competição.
Começaram em quadra: Lorena, Diogo, Rodriguinho, Mário Júnior, Cristian Polaco e Alberto. Everton e Lucas Salim também tiveram a oportunidade de ajudar a equipe além de Alemão, que entrou no lugar de Lorena – que sentiu o joelho – e foi o maior pontuador do lado do São José com 15 pontos. Logo atrás aparecem Brunão e Diogo, empatados em 14 pontos.

Para o Líbero Mário Junior este jogo ensina uma lição. “Era pra gente ter levado para o tie break, tínhamos o quarto set na mão, com diferença de seis pontos. Uma equipe do nosso nível não podia deixar isso acontecer. Mas, apesar das duas derrotas seguidas, posso dizer que não está faltando empenho, estamos treinando, trabalhando. Até aqui temos três vitórias e três derrotas, mas tem muita coisa pela frente e sobre o jogo fica o aprendizado de nunca desistir independente do placar, foi enfático o líbero joseense.
Para o técnico Leonardo Carvalho o time não sobre aproveitar o momento favorável na partida. “Faltou aproveitar o resultado à frente, manter a diferença. Nossa recepção melhorou de um modo geral, não persistiram os erros do jogo passado, mas nosso saque talvez tenha sido menos agressivo. A saída do Lorena também nos pesa muito. Alemão fez uma partida brilhantes mas principalmente no saque o Lorena faz falta. Acho que hoje desperdiçamos uma frente boa, um resultado que já encaminhava o jogo para o tie break. Uma pena, a gente perde um ponto importante, mesmo que não ganhasse o jogo, este é um ponto que pode fazer diferença na competição. Mas enfim, este não era o resultado que a gente queria mas sabíamos que essas duas semanas seriam muito difíceis e já temos uma outra pedreira lá em Betim contra o campeão mundial, Sada/Cruzeiro e agora é este o nosso foco”.

O JOGO
O início do jogo é acirrado e as equipes trocam pontos. A galera vibra com a bola de segunda de Rodriguinho, definição de Diogo na entrada de rede que marca e chama a torcida. As equipes estão empatadas (7×7). Alguns erros de saque, dificuldades na recepção e o Brasil Kirin abre diferença (8×11). Alberto está na rede disputa e ganha (10×12). Diogo vai pro saque e força, tem rali, sobe o bloqueio triplo com Polaco, Rodriguinho e Alberto, é ponto joseense (12×15). O jogo fica difícil para o São José e o técnico Leonardo Carvalho pede tempo. O São José está marcado, fica algumas vezes no bloqueio adversário e a vantagem dos campineiros aumenta (13×20). Diogo vem voando pelo meio e faz o dele para elevar o moral do time, (15×20). A torcida do Brasil Kirin está em pequeno número mas faz muito barulho e empurra seu time que fecha em (17×25).

O segundo set começa com ataque de Lorena para fora e invasão de Rodriguinho (0x2). O erro não tira sua inspiração para levantar com uma mão só, colocar Brunão em bola curta na rede subir e marcar! Polaco também dificulta a vida dos adversários com uma deixadinha mas a bola volta e Brunão não desperdiça e crava mais um (2×2). São José tem um bom começo de set, passa à frente e cresce no jogo (5 x3) que passa a ficar realmente bom para os donos da casa. (8×4), (10×6), (12×9). Diogo recebe de Rodriguinho e mais uma vez voando faz o dele, em uma pancada indefensável no meio da quadra adversária. (15×12) São José comete alguns erros de saque e o time de Campinas encosta (15×13). E em uma marcação de invasão do árbitro na jogada de Rodriguinho o Kirin empata (15×15). São José cai de rendimento. As equipes vão para o segundo tempo técnico. Sai Lorena, entra Alemão. Brasil Kirin passa (16×17) e o técnico Leonardo Carvalho pede tempo. Sai Alberto entra Candango. Tudo igual de novo no placar (19×19), (20×20), (21×23) e o jogo é acirrado mas o São José não consegue se impor e a equipe de Campinas leva. Final de set (22×25).

O terceiro já começa 1×1 pela regra do cartão vermelho. Rodriguinho do São José e Gonzáles do Brasil Kirin foram advertidos pela arbitragem. São José entra em quadra com outra postura, mostra que tem garra e mesmo com dois sets de diferença, vibra e faz (5×3), (7×4), (8×5). O jogo é quente e o São José está determinado a vencer mas os campineiros também não querem deixar barato, vão buscar e encostam (13×11). O São José inverte a vantagem dos sets anteriores e agora o técnico Alexandre Stanzioni é quem pede tempo. A cobrança do técnico parece funcionar e o jogo fica parelho de novo, fica tudo igual (18×18), (19×19), (20×19). Final de jogo emocionante e quem sobe pra pancada é Alemão que faz o dele (21x 20). Leo Carvalho faz inversão com Lorena e Salim, a torcida vibra e canta! São José vai para o set point (24×22), Campinas faz (24×23). Leo pede tempo. (24X24), (25X24), (25X25), (26×25) e o final eletrizante, com último ponto de Alemão! Final de set (27×25).

Times em quadra para o quarto set que promete mais emoção. O São José vem com Alemão, Brunão, Everton Candango, Polaco, Diogo e Mário Junior. Os times trocam pontos e o placar marca (6×6). São José tenta encaixar seu jogo, força o saque mas o Brasil Kirin é quem amplia (7×9), (8×11) e o técnico Leo pede tempo. O jogo tem rali, o São José se impõe e na pancada de Diogo faz (10×11). Polaco vai pro saque, senta o braço e quebra a linha de passe do adversário. É ponto e está tudo igual de novo (11×11). O técnico Alexandre Stanzioni percebe o perigo e pede tempo. São José cresce no jogo, ganha na vibração e vira (14×12). O bloqueio triplo joseense funciona (17×13). Alemão explora o block adversário e é ponto(18×13). Mais uma vez o time adversário pede tempo. E é ele mesmo, Alemão, quem vai para o saque. A bola volta, sobra de graça e Diogo não perdoa, cravada! (19×14). Brasil Kirin pede tempo, se recompõe e diminuia a diferença. (22×20). Mais rali e o ataque do Polaco vai pra fora (22×21), (22×22), a vibração joseense diminui, cai a diferença e está tudo igual de novo. O São José faz (24×23) e tem a chance de fechar mas o Brasil Kirin faz (24×24), (25×25), e mais uma vez o final é tenso. (25×26), (26×26), e o Brasil Kirin fecha em 47 minutos de jogo. (26×28).

Próximo jogo
São José vai a Contagem (MG), no Ginásio do Riacho, para duelo contra Sada Cruzeiro, grande favorito da competição. O jogo é válido pela sétima rodada da Superliga. Para esta partida a equipe ainda não conta com o central Júnior, lesionado.

SELETIVA!
Meninos nascidos em 96,97,98,99,2000 e 2001 têm a chance de fazer parte do elenco das categorias de base do São José Vôlei. A peneira acontecerá no dia 6 de dezembro, a partir das 9h, no Ginásio José Vaney Ferraz Pacheco. Endereço: Rua Itambé, 71, Cidade Jardim. São José dos Campos.
Mais informações no site www.saojosevolei.com.br, ou pelo telefone (12) 99700 9861.
Os candidatos devem levar documento de identidade.

Elenco
Centrais: Alberto, Everton, Brunão, Junior e Gladstone | Oposto: Lorena, Alemão | Ponteiros: Diogo, Hugo Hamacher, Cristian Poglajen, Eduardo Bidá | Levantador: Rodriguinho, Lucas Salim | Líberos: Mario Junior, Matheus Oliveira | Técnico: Leonardo Carvalho | Auxiliar Técnico: Fabrízio Capello

São José Vôlei
O São José Vôlei é uma equipe de alto rendimento que disputou a Superliga 2014/2015, depois de conquistar a vaga com o título da Superliga B 2014. A vaga na Superliga 2015/2016 foi conquistada em seletiva com outras quatro equipes, disputa em que o São José Vôlei sagrou-se campeão.
A maior parte dos recursos para manutenção da equipe é proveniente da Prefeitura de São José dos Campos. Outra parte, derivada de empresas apoiadoras como Colégio e Curso Poliedro, por meio da Lei de Incentivo Fiscal – LIF.
Hoje o São José Vôlei executa um plano estratégico de marketing e negócios que prevê captação de patrocínio e implantação de ações que eleve sua autonomia com recursos privados em pelo menos 50% para a temporada 2015/2016 e alcance 100% na temporada 2016/2017.