São José Vôlei não consegue superar Brasil Kirin

O São José foi a Campinas, na tarde deste sábado (13), pela 17ª rodada da Superliga Masculina de Vôlei, a 6ª do returno. Em jogo acirrado, a equipe de Campinas fez o primeiro set, o São José foi buscar, venceu o segundo, mas no quarto set deixou a vitória escapar em 25×23. O jogo teve parciais de 25×17/23×25/25X19/25×23.

Começaram em quadra: Cristian Polaco, Diogo, Rodriguinho, Everton, Alemão, Brunão e Mário Júnior. Matheus, Lucas Salim, Hugo Hamacher e Junior também tiveram a oportunidade de ajudar a equipe. Alemão, o substituto de Lorena, que cumpre suspensão, fez mais uma vez uma bela partida e foi o maior pontuador do jogo com 20 pontos. Logo atrás aparecem Diogo com 15 e Kandango com 11.

O Jogo
O início do jogo é acirrado e o São José é muito marcado pela equipe adversária que faz 3×2 no início do set. A bola de meio do São José continua marcada e o time começa a tentar mudar e jogar pelas pontas. As equipes empatam (6×6). O jogo é bom, mas o Brasil Kirin abre dois pontos e o técnico Renato Soares Junior pede tempo. O time volta melhor. O jogo fica empatado em (10×10) mas o São José não consegue sair da marcação e encaixar boas jogadas. O time de Campinas começa a se distanciar no placar enquanto o São José busca alternativas para imprimir seu jogo. Final de set: 25×17

O segundo set começa com o São José buscando reação e consegue, abrindo 3 pontos (5×2). O técnico de Campinas pede tempo. O São José não está para brincadeira e com Everton especialmente inspirado no bloqueio, o São José consegue sua melhor atuação no jogo, abrindo (3×8). O time do técnico Alexandre Stanzioni, também não quer deixar barato e diminui a diferença (7×9), (10×11) e agora é a vez do São José pedir tempo. Mas o Brasil Kirin encosta, empata em 13×13 e passa 14×13. O jogo fica equilibrado, com as equipes empatadas mas o São José abre de novo (16×18), (21×13) e fecha em (23×25).

O terceiro já começa melhor para o Brasil Kirin que nos primeiros minutos abre 6×2 e até o primeiro tempo técnico mostra superioridade com 8×4 no marcador. Mas o São José surpreende, volta melhor, com uma boa distribuição de bola e encosta (8×7) e empata (9×9) mas não consegue segurar o resultado e o time de Campinas cresce e amplia (15×10), (17×11) e vai dificultando a vida dos joseenses que sentem a pressão do time campineiro. Final de set: 25×19.

Times em quadra para o quarto set que promete mais emoção. O início é equilibrado, as equipes trocam pontos e o placar marca (6×6). São José tenta encaixar seu jogo, força o saque e se esforça para não deixar o Campinas crescer (8×9). O jogo tem rali, o São José se impõe e na pancada de Diogo pelo meio faz (11×11). O set é pegado, ponto a ponto, e os times oscilam na liderança. No segundo tempo técnico o São José coloca pressão, faz 16 a 14 e com belos ataques na rede com Everton e Albertão, o time vibra. O Brasil Kirin pressiona e os times ficam voltam a trocar pontos e a dianteira do set, mas o Campinas conta com o apoio da torcida e carimba a vitória em 25×23.

Próximo Jogo
7ª Rodada do returno
Data: 25 de fevereiro, quinta-feira, às 19h30
Contra: Sada Cruzeiro, no Ginásio do Tênis Clube

Elenco
Centrais: Alberto, Everton, Brunão, Junior e Gladstone | Oposto: Lorena, Alemão | Ponteiros: Diogo, Hugo Hamacher, Cristian Poglajen, Eduardo Bidá | Levantador: Rodriguinho, Lucas Salim | Líberos: Mario Junior, Matheus Oliveira | Técnico: Renato Jr. (Banana) | Auxiliar Técnico: Fabrízio Capello

São José Vôlei
O São José Vôlei é uma equipe de alto rendimento que disputou a Superliga 2014/2015, depois de conquistar a vaga com o título da Superliga B 2014. A vaga na Superliga 2015/2016 foi conquistada em seletiva com outras quatro equipes, disputa em que o São José Vôlei sagrou-se campeão.
A maior parte dos recursos para manutenção da equipe é proveniente da Prefeitura de São José dos Campos. Outra parte, derivada de empresas apoiadoras como Colégio e Curso Poliedro, por meio da Lei de Incentivo Fiscal – LIF.
Hoje o São José Vôlei executa um plano estratégico de marketing e negócios que prevê captação de patrocínio e implantação de ações que eleve sua autonomia com recursos privados em pelo menos 50% para a temporada 2015/2016 e alcance 100% na temporada 2016/2017.